Conheça o que é luz, os conceitos básicos e a diferença entre os tipos de iluminação

Aprenda a diferença entre os tipos de iluminação e conceitos luminotécnicos

Por Equipe LEDAX   28 de Setembro de 2020 às 17:00

A luz, no seu conceito, é uma fonte de radiação emite ondas eletromagnéticas. Estas ondas, chamadas de espectro magnético, possuem diferentes comprimentos (de raios cósmicos até ondas de rádio). 

Já o olho humano é capaz de perceber apenas uma faixa delas, entre 370nm e 750nm (nanômetros), que fica mais ou menos no centro do espectro e compreende o intervalo de cores do violeta ao vermelho. 

Se o comprimento das ondas são demasiadamente curtas (abaixo de 370nm) ou longas (acima de 750nm), a retina deixa de ser estimulada e, por isso, tornam-se invisíveis ao olho humano, como é o caso dos raios X e do infravermelho.

Luz visível

Conceitos básicos de engenharia elétrica e iluminação

Agora, para tirar qualquer dúvida sobre conceitos luminotécnicos e nunca mais se confundir entre os termos em um momento de necessidade, preparamos um breve apanhado de explicações para cada conceito. Confira.

Luminância

Potência Total Instalada (unidade: Watt – W ou Quilowatt – Kw)

A Potência Total Instalada em um projeto ou parque de iluminação nada mais é do que a soma das potências em Watt (potência real) de todas as luminárias existentes.

Quando a luminária requer reatores ou ignitores, o consumo destes deve ser incorporado ao da luminária. No caso das luminárias em LED da LEDAX, a potência apresentada já é a final, pois não há a necessidade de instalar ou implementar outros equipamentos para funcionarem.

Fluxo Luminoso – φ (unidade: lúmen – lm)

O Fluxo Luminoso é a quantidade total de radiação (luz), medida em lúmens, que a fonte luminosa emite na tensão nominal de alimentação.

Iluminância – E (unidade: lux – lx)

A Iluminância é um termo utilizado para descrever a quantidade de luz que incide sobre uma área de superfície a uma certa distância. Sua unidade de medida é expressa em lux (lx) e pode ser medida com auxílio de um aparelho de medição, chamado luxímetro.

Devido ao fluxo luminoso não ser distribuído uniformemente, a iluminância não será a mesma em todos os pontos da superfície em questão e por isso, em Normas e estudos luminotécnicos, é adotada a Iluminância média (Em) como parâmetro. 

Fatores como a distribuição ótica da luminária e os níveis de refletância dos objetos no espaço estudado podem influenciar no resultado da Iluminância.

Intensidade Luminosa – I (unidade: candela – cd)

A irradiação do fluxo luminoso, seja em uma lâmpada ou luminária, é feita em diversas direções e com diferentes intensidades. As direções são chamadas de vetores e as intensidades de Intensidade Luminosa.

Analisando todos os vetores e suas intensidades, é possível traçar um gráfico com a distribuição fotométrica da luminária, também chamada de Curva de Distribuição da Intensidade Luminosa. 

Luminância – L (unidade: cd/m2 – candela por metro quadrado)

Se a Iluminância é a quantidade de luz medida sobre uma superfície, a Luminância é a demonstra a distribuição da luz no ambiente. O aparelho que mede a Luminância é o Luminancímetro.

Sabe a sensação de claridade que você tem em um espaço iluminado? Isso é Luminância. De todas as grandezas mencionadas nesse texto, esta é a única que pode ser vista a olho nu, pois trata da Intensidade Luminosa reproduzida (ou refletida) por uma superfície aparente. 

Tal reflexão transmite essa sensação de claridade aos olhos, que pode ser influenciada pelos níveis de reflexão dos objetos (varia conforme o tipo de material) e pelo ângulo de visão do observador.

Este é um conceito muito utilizado em iluminação de vias públicas e túneis, pois se relaciona diretamente a quanto e como o motorista enxerga a via.

Índice De Reprodução De Cor - IRC

O índice de reprodução de cor é a representação entre a cor real de uma superfície em relação a sua aparência a partir de uma fonte luminosa, ou o percentual médio de reprodução de cor, baseada em uma série de cores padrões. 

Podemos citar o sol como o melhor índice de reprodução, sendo considerado o IRC ideal de 100, pois apresenta as cores com total fidelidade e precisão. Quanto mais baixo o índice, mais deficiente é a reprodução de cores. 

Por proporcionar uma fidelidade na representação das cores, o IRC pode estar associado ao conforto, produtividade e segurança, uma vez que permitirá uma correta identificação das sinalizações viárias, de emergência ou de produtos em uma fábrica, por exemplo.

Isso é bem fácil de ser percebido com as lâmpadas como a de vapor de sódio, comumente utilizadas na iluminação pública e que tem um apecto alaranjado que distorce as cores no ambiente. Este tipo de lâmpada tem um IRC bastante baixo, próximo a 25. Já as soluções em LED estão próximos a 80, entre os maiores do mercado.

A diferença entre iluminação incandescente, fluorescente, descarga e LED

No decorrer do tempo, a forma que os seres humanos utilizam a iluminação no nosso cotidiano mudou e evoluiu bastante. Saímos de uma sociedade primitiva onde as únicas fontes iluminação eram a luz do dia e tochas de fogo. 

Atualmente, vivemos numa sociedade avançada onde os sistemas LED já estão consolidados e vem ganhando cada vez mais espaço em diversos setores, dos residenciais aos industriais.

Historicamente, contamos com três tipos de iluminação mais conhecidos no mercado: incandescente, fluorescente, descarga e LED. Confira a seguir as diferenças que as tornam únicas.

Iluminação incandescente

Criado no século XIX, esse modelo é o mais barato e por muito tempo foi o mais vendido no mercado, num cenário mundial, inclusive. Entretanto, seu único benefício é o baixo preço, pois o seu consumo de energia é muito elevado quando comparado com outros modelos de lâmpada.

Outro ponto negativo que a iluminação incandescente tem, além da curta vida útil (cerca de 750 horas) e iluminação amarelada, é a baixa eficácia luminosa. De maneira geral, esse tipo de lâmpada converte apenas 5% do seu consumo em luz, sendo os outros 95% convertido em calor. 

Por estes motivos e pelo avanço de tecnologias mais eficientes e viáveis, diversos países já baniram o seu uso, como o Brasil, que vem criando proibições de comercialização destas lâmpadas desde 2014.

Iluminação fluorescente

A iluminação fluorescente é considerada melhor que a incandescente pela sua eficácia. Disponível em modelos de lâmpadas que variam em formas e potência, sejam tubulares ou compactas, esta categoria possui vida útil de aproximadamente 8000 horas.

Por anos foi muito utilizada na indústria e teve uma grande alavancagem no início dos anos 2000 com o modelo eletrônico compacto.

Entretanto, atualmente já perderam grande parte do mercado para as soluções em LED, ainda mais eficientes e com preços bem competitivos.

Lâmpadas de descarga

São lâmpadas de alta potência e muito encontradas em uso industrial e vias públicas. Nesta categoria, enquadram-se os modelos que utilizam uma descarga de energia elétrica dentro do tubo da lâmpada contendo vapor de sódio ou mercúrio para produzir a luz.

Suportam altas temperaturas, tem um rendimento em torno de 80lmlw a 120lm/w e uma vida útil perto de 30.000h, entretanto perdem muita eficácia luminosa no seu uso final pois precisam ser instaladas em refletores (perda de aproximadamente 30%), além de necessitarem de reatores e demandar aproximadamente de 15 minutos para reacendimento.

Por possuírem metais pesados na sua fabricação, assim como as fluorescentes, o seu descarte não pode ser feito no lixo comum, devendo ser encaminhada para empresas especializadas darem a correta destinação.

Iluminação em LED

Para você que está buscando adquirir o melhor tipo de iluminação, você finalmente encontrou! Os sistemas em LED são eletrônicos, o que gera mais luz e emite menos calor.

Podendo durar até 50 vezes mais que qualquer outro tipo de lâmpada, o modelo LED ainda oferece economia de até 80% no consumo de energia elétrica da iluminação de empresas e comércios, além de ser ecologicamente correto e não possuir metais pesados. Uma relação de custo-benefício ideal para o bolso de todos.

A LEDAX possui um corpo de Engenharia multidisciplinar qualificado e apto para oferecer as melhores soluções em iluminação em LED, adequada para cada tipo de aplicação/segmento, utilizando somente componentes de alta tecnologia e performance.

Ficou interessado(a) em iluminação LED? Confira nosso catálogo e a qualidade de nossos produtos, nós temos a luminária perfeita para o seu negócio.

Outros Artigos

Paper Plane Newsletter
Gostou e quer saber mais?
Se inscreva na nossa newsletter e aprenda tudo sobre soluções em iluminação LED, geração de energia solar e gerenciamento de consumo.

Gostaríamos muito que você ficasse a par de tudo que a gente faz.

É só preencher os dois campos abaixo.
*Não se preocupe. Seus dados estarão seguros conosco!